Santos Dumont, criador do avião, teve seus estudos financiados pela produção de café

Que o café movimenta o Brasil você já sabe. Agora, que o café fez parte da criação do primeiro avião, você sabia? Santos Dumont, o brasileiro responsável pela criação do 14Bis, era filho de um fazendeiro cafeicultor, grande incentivador de seus estudos e experimentos.

Com os equipamentos para produção do café, na fazenda de seu pai, que chegou a ser a maior da América Latina, é que aconteceram os primeiros contatos de Dumont com maquinários. Era comum, nessa época, a utilização de máquinas movidas a vapor, que levavam a colheita para a estrada de ferro.

Nesse ambiente de contato com máquinas e com o café, foi que ele desenvolveu seus conhecimentos sobre engenharia mecânica – e a paixão pelo café, que utilizaria para criar seus inventos. As máquinas da fazenda, que precisavam de manutenção frequente, são ditas como sua primeira escola mecânica.

Após a morte de seus pais, Santos Dumont usou a herança para financiar os custos dos estudos e testes para a invenção do 14Bis. Exímio invencionista, além do inventar o avião, criou o relógio de pulso, o avião ultraleve e o hangar. Além disso, competia com balões, após ter inventado uma forma de controlá-los.

E seus inventos eram colocados todos em domínio público, não gerando nenhuma receita. Ficou conhecido, ainda, pela sua generosidade, pois os prêmios que ganhava nas competições de balões, geralmente, eram doados para pobres. Dumont também era conhecido por sua elegância, complementada por uma garrafa térmica de café o acompanhando.

Contudo, foi em 23 de outubro de 1906, que, finalmente, ele realizava seu voo histórico com o 14Bis, o primeiro aeroplano a flutuar sob os céus europeus. Mesmo que para algumas pessoas os inventores do avião sejam os irmãos Orville e Wilbur Wright, Dumont foi o primeiro a apresentar o voo em público.