A ABIC (Associação Brasileira das Indústrias de Café) divulgou dados sobre o consumo de café, uma prioridade para a geração millennial e pelos brasileiros. As tendências em destaque são: Consumo no ambiente corporativo e cápsulas monodose nas Máquinas de café em São Paulo e em todo país ? assim como as lojas virtuais e as assinaturas mensais.

No relatório anual entidade norte-americana National Coffee Association, os millennials ? como são conhecidos os jovens do novo milênio ? aparecem no documento como a geração que deve mudar a forma como o café é consumido, comprado e até mesmo considerado. Por exemplo: De 2008 para cá, o consumo de cafés gourmet evoluiu de 13% para 36% entre pessoas de 18 a 24 anos e de 19% para 41% entre aqueles com 25 a 39 anos.

Entre as bebidas feitas a base do café espresso, o salto vai de 9% a 22% entre o grupo mais novo ? e de 8% a 29% entre aqueles com 25 a 39 anos. Outro dado interessante indicado no relatório é a preferência do americano pelo consumo da bebida fora de casa.

?O café costumava ser um ritual feito em casa. Mas cada vez mais millennialls estão tomando a bebida fora de casa, transformando o consumo em uma expressão pública de individualidade. Na era do Instagram, nada é realmente privado?, diz a introdução do relatório.

O documento também fala sobre a forma como esse público escolhe sua marca de café predileta: ?A nova geração de consumidores tem uma relação mais pessoal com os produtos e marcas que consome. Valor não quer dizer apenas preço, mas também a filosofia da empresa, autenticidade e comprometimento?. Assim, percebemos grandes empresas de café criando um público tão fiel quanto as grandes empresas de tecnologia contemporâneas.

Apesar do café especial também possuir um preço diferenciado, os millennials têm se mostrado dispostos a pagar. Historicamente, a venda de cafés sempre se manteve forte, mesmo depois da recessão de 2008. O café sempre foi importante (soldados até mesmo tentaram fermentá-lo através da chicória durante a guerra civil americana), mas o comportamento durante e após a crise demonstraram que o café é realmente uma prioridade para os millennials.

 

Máquinas de Café em São Paulo